19°C 27°C
Guarabira, PB
Publicidade

Suspeito de estupro, homem que ficou preso injustamente por 5 anos vai receber indenização de R$ 500 mil

Preso em 2016, ele foi inocentado cinco meses depois. O oficial de justiça foi até a primeira penitenciária por onde ele passou com o alvará de soltura, mas, como não o encontrou, ele não foi solto.

06/07/2024 às 10h58 Atualizada em 06/07/2024 às 21h27
Por: Redação Fonte: G1
Compartilhe:
Suspeito de estupro, homem que ficou preso injustamente por 5 anos vai receber indenização de R$ 500 mil

O governo de Minas Gerais foi condenado a pagar uma indenização de R$ 500 mil a um homem que passou cinco anos preso injustamente.

O homem que caminha com dificuldade está com a saúde debilitada. O rosto e o nome são preservados a pedido da Defensoria Pública de Minas Gerais. A Justiça determinou que ele receba indenização de R$ 500 mil e uma pensão vitalícia de um salário mínimo por mês, pagas pelo governo mineiro. Hoje, ele vive em situação de rua e tem apoio de um abrigo de Sete Lagoas, região central do estado.

A Defensoria Pública encontrou esse homem em 2021, durante um mutirão de atendimento em um presídio na cidade de Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Foi quando descobriu que ele já estava preso, injustamente, há cinco anos por um crime que não cometeu.

Preso, suspeito de estupro em 2016, ele foi encaminhado para a Penitenciária de Sete Lagoas e, em seguida, transferido para o Presídio de Ribeirão das Neves. Cinco meses depois, a Justiça entendeu que não houve estupro. O oficial de justiça foi até a primeira penitenciária com o alvará de soltura, mas, como não o encontrou, ele não foi solto.

"O juiz, em dezembro de 2021, passado mais de cinco anos, determinou e expediu o segundo alvará de soltura, no qual efetivamente essa pessoa foi solta. Existe uma falha no sistema prisional efetivamente, que deve ser reformulado para fins de um maior acompanhamento dessas pessoas. Um atendimento mais humanizado a essas pessoas que se encontram vulneráveis dentro do cárcere", afirma a defensora Camila Cortes Resende Silveira Dantas.

A Defensoria diz que a saúde dele e o vício em álcool e drogas pioraram durante a prisão. A determinação da Justiça é para que o estado de Minas Gerais comece imediatamente a fazer depósitos judiciais da pensão mensal. A Defensoria Pública já pediu que o abrigo onde ele se encontra hoje fique responsável pelo dinheiro para dar início a um tratamento contra a dependência de drogas.

Dados do CNJ - Conselho Nacional de Justiça apontam que, nos primeiros três meses de 2024, houve 241 processos por prisões ilegais no Brasil, casos que envolvem também situações como detenções sem audiência de custódia.

"São os dois grandes problemas que eu vejo: a gente precisa de um investimento na Polícia Civil e a gente precisa de uma atenção maior ao processo, que é o que aconteceu com esse senhor", diz Cristina Paiva, presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB-MG.

E o que o homem que ficou cinco anos esquecido na prisão pensa do futuro?

"Ter o que comer, ter a minha casinha, ficar tranquilo. Não mexer com ninguém, ninguém mexe comigo. Ficar longe da droga e do álcool. A minha vidinha normal", conta ele.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Guarabira, PB
21°
Tempo nublado

Mín. 19° Máx. 27°

21° Sensação
3.64km/h Vento
87% Umidade
100% (0.91mm) Chance de chuva
05h34 Nascer do sol
05h21 Pôr do sol
Sex 28° 19°
Sáb 27° 19°
Dom 25° 19°
Seg 26° 18°
Ter 26° 20°
Atualizado às 06h23
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,49 +0,04%
Euro
R$ 6,00 +0,05%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,80%
Bitcoin
R$ 376,987,94 +0,99%
Ibovespa
129,450,32 pts 0.26%
Publicidade
Lenium - Criar site de notícias